30 days of music - Dia 5


Essa postagem pode ser resumida com a abertura da novela Senhora do Destino.




Dia 5 - Uma música que te lembra alguém



Bom, basicamente é isso, uma música que puxa bastante um estilo de rock alternativo calminho sobre partidas, ou melhor, pessoas que se gostam porém se machucam, e coisas do nível, enfim.
Eu não vou dizer quem essa música me lembra e se você pensa que é você a pessoa, você provavelmente está errado, ou não, eu realmente não sei quem ainda lê essas postagens.
O instrumental é um estilo muito prazeroso de ouvir, lembrando bandar como Shojoskip e Bedside, talvez até nano.RIPE, é bem um estilinho indie europeu dos anos 90, década que essa música foi lançada. O vocal é diferente pois só nesse primeiro álbum a baixista da banda canta, e para quem não sabe, eu gosto muito dessa inversão de vocal feminino para masculino e vice-versa, assim como fazem grupos como Ling Tosite Sigure e a música Ohayo Ooopatsu de Soutaiseiriron, é uma variação que fica boa aos ouvidos.
SUPERCAR é um caso estranho pois, nos seus primeiros álbuns eles eram uma bandinha tipicamente rock alternativo, até que eles resolveram experimentar misturar com música eletrônica e boom, acharam seu ganha pão musical. Eu pessoalmente gosto mais dos primeiros álbuns, por mais que não sejam a coisa mais original do mundo, eles tem uma carga emocional mais presente (?), é como se fosse mais de alma do que de trabalho em si, talvez seja assim por ser um álbum de debut, ou eles faziam o que queriam ou não teriam um álbum.
Apenas como curiosidade, SUPERCAR é uma das bandas mais influentes entre a música japonesa no começo dos anos 2000, logo ao lado de Midori. A banda teve sem fim em 2005 e fez músicas para obras como Eureka 7 e Ping Pong (o filme de 2002, não o anime). E por fim, as performances ao vivo deles são terríveis, não recomendo. 





É algo meio comum no Japão grupos terem performance ao vivo muito pior que a versão de estúdio, meio que deixa na cara que as gravadoras mexem (e muito) nos materiais gravados por elas, já pensaram em quantos grupos que vocês gostam podem ser na verdade péssimos?

0 comentários:

Postar um comentário