30 days of music - Dia 14

Músicas com o dobro da minha idade e que talvez a minha mãe goste.


Dia 14 - Uma música que ninguém espera que eu goste


Anos 80, o metal estava em sua ascensão com Iron Maiden surgindo, o Hip Hop começava a dar seus primeiros passos a popularidade com Grandmaster Flash e a sua tal mensagem, Dead or Alive E Culture Club no auge popularizando a androginia, clássicos nasciam. E o que eu acabei gostando? Ah, um rock new wave de uma bandinha australiana.
The Church formou-se justamente em 1980, mesclava rock com neo-psicodelia e new wave, parecido com o que outras bandas já faziam, como A Flock of Seagulls, Alphaville, enfim, todos continuando o que Cheap Trick já tinha começado uma década atrás. 
O que eu gosto em específico dessas misturas de gênero era a qualidade instrumental, e The Church é ótimo nessa parte, duas guitarras, um contra baixo e uma bateria, o básico, e eles conseguem fazer a banda soar muito maior, misturante diferentes melodias de cada instrumento em sincronia, meio que espelhando que os toca talvez?
Se repararem, o guitarrista principal parece que está se segurando pra não se soltar e explodir a guitarra, enquanto o vocalista parece calmo, além do que devia, e o baixista tem uma cara de compositor, e o baterista? Bem, ele tá sumido, nos anos 80 não davam tanta bola para os coitados. 

Você é muito linda, rara, energética e glam, você é a mais popular da balada.

0 comentários:

Postar um comentário