[REVIEW] Nozoki Ana - Espiando o amor, sentimentos e pecados alheios

Olá pessoas com constantes crises de existência, como passam? Espero que bem. Hoje lhes trago o review de Nozoki Ana, um ecchi/seinen com uma premissa simples e um desenvolvimento impressionante. Então se você se interessa pelo menos um pouco com consequências, drama, psicologia e até mesmo atividades libidinosas, é bem vindo para dar uma espiadinha no CDO mais uma vez.




E cá estamos novamente, falando sobre mangás voltados ao público adulto, novamente me desculpe, um dia eu volto para os mangás alegres. MAS ENQUANTO ISSO, venham todos para a sarjeta comigo.
E novamente tendo que me explicar, desculpem a demora, quando não estou reclamando da vida no Twitter estou estudando, ser de exatas é realmente uma dificuldade considerável.
E agora, antes de começar já deixo avisado, Nozoki Ana trata de temas pesados para algumas pessoas, como assédio sexual, depressão, traições, tentativa de estupro, masturbação, paranóia, invasão de privacidade, pânico, e por fim, amores fracassados. Se você tem algo contra algum desses temas e não conseguiria se segurar e precisar desabafar, por favor faça isso com educação nos comentários ou com a falta dela nas minhas redes sociais. Sem mais delongas, vamos para o nosso review.

Nozoki Ana (Buraco Mágico, em uma tradução livre) é um mangá ecchi, seinen e drama publicado de 2009 à 2013 tendo um total de 13 volumes, criado por Wakou Honna, que ficou conhecido somente pelo próprio Nozoki Ana e seu clone, Nozo x Kimi. Ganhou um OVA em 2013 que chega a ser uma ofensa a história do mangá, e por falar nela, vamos para uma breve sinopse:
"Kido Tatsuhiko é um adolescente comum que se muda para um apartamento próximo da faculdade de artes que irá cursar, tudo estaria perfeito se ele não tivesse notado um pequeno buraco na parede, e do outro lado dele, uma jovem moça chama Ikuno Emiru, que o vê espiá-la, e, como uma "punição" ela define dias que ele pode espiá-la, mas também define dias que ela pode espiar ele, e com isso, começa um jogo mental entre os dois, onde um tenta se livrar dessas regras e o outro as protege com unhas e dentes".
Basicamente, seria isso, um ecchi clichê onde a todo momento acontece algo impossível que faria alguém ficar nu em uma situação embaraçosa... SERIA assim, caso ele fosse como os demais ecchis. Nozoki Ana traz uma carga de personalidade muito forte com a sua premissa, me arrisco a dizer que Nozoki Ana é o Death Note dos ecchis (risos).
O protagonista, Kido, é realmente um garoto simples, que só quer se divertir com amigos, ganhar dinheiro e ter uma namorada, isso é o que todos meninos querem hoje em dia não? Até mesmo eu que sou normal.
E a outra protagonista (ou antagonista... ?) é Ikuno Emiru, uma jovem que gosta muito de desenhar, é fria e calculista, mas ao mesmo tempo com momentos de gentileza e de longe, uma pervertida, já que ela que dita as regras do buraco na parede e que mais tira proveito dele. E é através de buraco em que a provação mental de ambos será colocada à prova.
A profundidade psicológica do mangá já começa a trabalhar logo no início, onde Kido começa a ver Emiru como uma "inimiga", e que deve  fazer algo para se livrar dessa regra, e cada vez mais ele fica mais paranoico com isso, a todo momento achando estar sendo espiado e relutante quanto a fazer qualquer coisa no seu quarto, até mesmo quando ele consegue alguma namorada, seu medo de fazer sexo em frente aos olhos da vilã ao lado são momentos do qual o seu medo supera até mesmo o seu tesão (o que para um homem isso é realmente algo incrível).
Vocês devem estar pensando "mas um homem não gostaria que uma menina maravilhosa estivesse te espiando e se masturbando com isso?". Bom, NÃO NEM UM POUCO. Imaginem alguém o tempo todo de olho em você, vendo tudo o que você faz, fala e sente, é algo aterrorizante até para quem pensa gostar desse tipo de coisa, e é aí que a parte do pânico entra. Por causa dessa espiadinha maliciosa ele tem medo de viver, ele não consegue mais fazer coisa alguma sem pensar que está sendo observado, começa a ter medo e de acordo com o que ele passa, fica até em um estado depressivo e ansioso, e com o tempo isso afeta até mesmo as suas relações sociais, é algo supostamente simples que toma uma profundidade forte de forma muito crível.
Porém, temos momentos em que, quando nosso protagonista está tendo problemas que afetam ele profundamente, é ajudado rapidamente pela nossa querida antagonista, ela tem noção do quão mal isso faz para Kido, porém ela é a primeira a estar disposta a ajudá-lo nos momentos sérios, o que cria uma guerra interna dentro do peito dele, algo como "eu odeio ela, mas eu também amo ela", e ele fica com essa dúvida até o fim de tudo, passando por namoradas, brigas e amizades, e claro, problemas, muitos deles.
E a história, claro, tem muitas atividades libidinosas, frequentes quadros de sexo que as vezes toma a maior parte do capítulo, afinal, acima de tudo ele é um ecchi, ele porém sempre tenta contextualizar a cena, muitas vezes elas acontecem em conjunto com o pensamento do protagonista, pensando nas coisas que o afetam no momento e as suas dúvidas, exceto é claro, as cenas "especiais", que vão ter alguma finalidade de mudança no enredo, o que dará continuação a trama, porém também tem relações sexuais que apenas acontecem, o que entra no caso abaixo.
Em pontos negativos de história, tem momentos em que o mangá dá umas "pedaladas", por ser um mangá grande o autor tende a criar histórias para aumentar ele, eventos não tão importantes que não ganham nenhuma importância em questão de enredo, é quase como se fosse um filler dentro do material original, mas nada que atrapalhe a experiência geral do mangá.
Agora, aqueles detalhes mais técnicos que nem todos se importam mas todos gostam de saber. Artísticamente o mangá não é tão impressionante, estando na média da maioria dos mangás ecchi e hentai. O design dos espaços onde se passa a trama não é nada impressionante, nada tem muitos detalhes e é bem simples, exceto é claro, o bendito buraco que é propositalmente parecido com uma vagina, mas não é, é só um buraco, claro.
Agora o problema é em relação a tradução, como o mangá não foi licenciado para esse lado do planeta, novamente necessitamos do trabalho dos scanlators, porém todas as traduções desse mangá são de qualidade bastante duvidosa, tanto na versão em inglês quanto em português do Brasil, não vejo tanto problema quanto aos termos em japonês que não foram traduzidos, porém muitos erros de ortografia bobos, como a troca de mas por mais e coisas do nível, além das anotações safadinhas dos editores que o tempo todo soltam algo infame sobre alguma ação dentro do mangá, não é algo que influencie na história em si mas influencia na experiência de modo geral, ainda mais se tratando de um mangá que talvez nunca vejamos desse lado do mundo.
Concluindo, Nozoki Ana é um mangá realmente bom, e caso você não se incomode com o tanto de nudez e práticas sexuais presentes, poderá realmente vir a gostar dele. Ele tem uma carga pesada, um bom desenvolvimento e um final pra lá de satisfatório, se você ainda tem o preconceito de que todo ecchi é ruim, é hora de conhecer obras melhores e rever seus conceitos.

Enfim pessoas, é isso por hoje, espero que tenham gostado. Qualquer observação, felicitação, tesão e espiada é livre no campo dos comentários, local onde todos os eleitores do CDO votam novamente se querem ou não o fim da ditadura imposta por mim neste blog, fiquem bem e não esqueçam, se tiver um buraco na parede do seu apartamento, TAMPE-O RAPIDAMENTE. Até.








2 comentários:

  1. Francamente, "buraco mágico" é algo que acaba entregando tudo pro lado errado mas ainda assim, vou pegar pra ler! Também, depois de tantos doujins tá mais que na hora de pegar algo com um pouco de conteúdo, né não? /tapas

    Eu já me acomodei com esses erros maravilhosos que volta e meia esbarro por aí, até consegui parar de reclamar toda vez que vejo um "hajamos" que não casa muito bem com a fala em questão largado por algum balão.

    Caramba Guga, você estuda?! E eu aqui pensando que você fazia altos nada, lol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é a ideia, até porque no mangá tudo vai pro lado errado também :^)
      Mesmo tendo plot, mangá algum vai cobrir todos os gostos pessoais que só os doujins tem -n
      Eu já desisti de reclamar sobre mas ainda me retorço inteiro, mesmo que na outra postagem que tu comentou eu escrevi sussetíveis ao invés de suscetíveis, além de que as minhas postagens são uma tempestade de concordância errada, se minha ex-professora lesse isso eu estaria em apuros.
      Eu tenho que fazer algo para não acabar morando na rua não é mesmo? Já que emprego eu não estou conseguindo nem se eu tentasse vender meu corpo.

      ~nippan~

      Excluir